04 agosto 2014

Leiria ? Que cidade é "Eça" ?

    


"Leiria ? O que tem para ver ? Ah... parece que tem um castelo..."

É esta frase entristecedora para mim caro leitor com que fui e sou presenteado ao longo deste meu percurso de vida que me trouxe até aqui, e que me fez passar um dia a visitar a cidade onde vivo, tal  qual um turista de olhos em bico.
 O dia está bem convidativo e faz me pular bem cedo da cama ! Não sou fotógrafo nem nada que se assemelhe, mas sei que se disparar umas bem cedo há de sair alguma foto... "comestível". E lá fui eu para Leiria, não para tratar de assuntos burocráticos como ir às finanças, segurança social, câmara municipal etc. mas sim visitar a minha cidade. Então recuando no tempo...

  Meados do mês de Junho de 2013...
  Estou sentado na esplanada da Praça Rodrigues Lobo, tenho sim o castelo de soslaio a olhar para mim, não sou eu que o miro, sei que está lá mas resisto à tentação e não o procuro. Penso que ainda hoje cumpre a sua função, estou na praça e ele olha por mim, vigia-me, de certo modo protege-me. Cheryl Mcvean uma turista americana com a qual faço de guia numa tarde de muito calor está sentada a meu lado de frente para o castelo. Cheryl, tal como, 90% dos turistas que visitam a zona "perdeu-se" por Fátima, Batalha, Tomar...ah e Alcobaça pois claro, tudo locais com o importante carimbo UNESCO. Está agradável à sombra da esplanada do " Mata Bicho", miúdos já de férias da escola disputam um quente jogo de futebol sobre a bela e distinta calçada à portuguesa, os pombos afastam-se devido à azáfama da criançada e os pais controlam-nos sentados nos bancos que rodeam a praça. As esplanadas estão cheias, cheias de Leirienses que fazem a sua pausa de almoço.
Cheryl e eu preparamo-nos para acabar de tomar o café. Como que num suspiro antes da conta, Cheryl remata: - "Francisco! Como é possível esta cidade não ter mais turistas ? ", e eu devolvo numa tentativa tão portuguesa de tirar nabos da púcara, "Porquê Cheryl?", "Ora, é deliciosa esta cidade, um centro histórico lindíssimo muito fácil de percorrer a pé, o passeio ao pé do rio, o ar puro, pouco trânsito, pessoas lindas, pessoas jovens, esta praça maravilhosa, várias lojas interessantes, história de poetas...vários edifícios interessantes arquitectonicamente..." .
- "Não sei Cheryl, mas vou procurar saber.."

E foi assim caro leitor, foi esta tarde que me fez levantar da cama bem cedo e procurar respostas para Cheryl...mas uma verdade antes de mais vos digo, Cheryl não me falou no Castelo...




Então afinal que cidade é "Eça" ?.
Estou na Praça Rodrigues Lobo. Uma espécie de local onde desaguam as várias ruas mais antigas de Leiria e onde outrora se realizava o mercado semanal, hoje ainda o mais importante ponto de encontro da cidade. "Onde estás ?", "estou na praça ?", é assim, não é preciso dizer qual, para o Leiriense "praça" é a Praça Rodrigues Lobo.  Quase um ano depois de estar com Cheryl, tomo um café na mesma esplanada. Não avisto turistas. Saio e parto em busca de respostas para Cheryl.
   Entro na rua D.Dinis, rua de comércio interdita a trânsito, vejo vários lojistas à porta conversando uns com os outros, é cedo, deverá ser a dita conversa circunstancial da manhã, como está ?, Bom dia !, o tempo... É assim há 64 anos para o Sr. Nabais, diz-me cheio de orgulho, ele, o Sr. Nabais conta 74,e é o proprietário de uma antiga loja de electrodomésticos que exibe orgulhosamente as suas tábuas de passar a ferro em pleno Centro Histórico (sim Leiria tem um Centro Histórico, já vos disse isto...?). "É das lojas mais antigas da cidade !" diz-me. Fico feliz por conhecer o Sr. Nabais, não posso deixar de registar o momento.
   O centro histórico de Leiria está ainda recheado de pequenas lojas de comércio tradicional. Mercearias conto duas e são para durar, oficina de bicicletas, estofadores... É certo que já foram mais, mas já visitei outras cidades Portugal fora, Leiria pode-se queixar ? Na minha modesta opinião não.
   Estou ainda nas veias que dão acesso ao coração é certo, mas quero ir ao coração, o coração é a Rua Direita, e é para lá que vou, pelo caminho descubro o local onde existiu uma das mais importantes sinagogas do país, descubro também que aqui existiu uma das primeiras tipografias da península ibérica...Leiria está a desafiar-me... continua em breve...
 
 
 

 
 
  
 
 
 
 
ESPAÇO EÇA Coffe, wine &books e Eça de Queiroz...

  

   Chego à Rua Direita,  contudo Barão Viamonte é o nome "oficial" desta rua que nos "transporta" desde a Sé até ao Terreiro ou Largo Cândido dos Reis. Nas minhas costas fica a Sé. Estou a meio caminho desta autêntica artéria aorta do coração de Leiria. Quero fazer uma pausa e estou no local certo, dou de caras com o Espaço Eça, já tinha ouvido falar deste local.
    Aberto recentemente, Luís e Susana, os seus empreendedores criaram um conceito inovador na cidade. Café, vinho e livros, tudo à mesma mesa recheados com extremo bom gosto na decoração e design, um espaço onde "podemos simplesmente estar connosco próprios",  ler um livro saído da sua biblioteca, degustar um português tinto ou branco...ou verde e casar isto tudo com uma bem aviada “tosta de alheira com queijo da ilha” que já criou raízes e atrai propositadamente os seus comensais, ou quiçá somente conversar.
   Tudo isto sob o olhar de Eça de Queiroz, grande nome da escrita em Portugal, um dos grandes direi. O Espaço Eça eleva bem alto o seu nome e recorda-nos que foi nesta cidade que Eça de Queiroz se inspirou e à qual colocou como cenário para escrever um dos seus mais polémicos e famosos romances, capaz o suficiente para ter sido alvo já de duas adaptações ao cinema nacional e estrangeiro, "O crime do Padre Amaro". 

 
 
 
    Descubro que a casa onde Eça de Queiroz viveu está perto e que inclusive existe um Rota do Crime do Padre Amaro passando pelos locais onde Amaro e Amélia se perdiam de amores, amor proibido. Leiria está viva e o Espaço Eça prova-o, Luís e Susana, Leirienses que são, amando e sobretudo percebendo a sua cidade decidiram injectar sangue nas veias de Leiria com este projecto.
 
                                                                                             

 
 
   Precisará Leiria que outros sigam este caminho e cuidem do seu coração, do seu Centro Histórico, talvez aqui residam as respostas para Cheryl, falta de promoção da cidade como um todo, será ? Deixo ao caro leitor a pergunta e a sugestão da resposta, desafiando-o como Leiria me desafiou a encontrar respostas para Cheryl. Leiria está aí a surgir, embarque neste renascimento e descubra Leiria... Falei-vos do Castelo ...?

 
 
 
 
 
 
FIM

 

 


8 comentários:

  1. E já percebi que gostas de fotografia. Acho que vou acampar por aqui.

    ResponderExcluir
  2. Sinto-me triste. Mudei-me para Leiria (para estudar), vai fazer 3 anos e não a conheço como devia...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ora Cristina, ainda está muito a tempo, eu moro vai fazer 20 e só recentemente comecei a olha-la de outra forma e a descobrir .

      Excluir
  3. Sou de Castelo Branco vivo em Leiria à 4 anos 2 a estudar e 2 a trabalhar e é a cidade onde mais gosto de viver do país. Tem tudo a 10 15 mins a pé. O centro é lindo e as pessoas muito amigáveis.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso mesmo, muitos dos Leirienses menosprezam a sua cidade, principalmente os de fora da cidade mesmo. Abraço Tiago e obrigado por ler o blog.

      Excluir
  4. Ainda não conheço... parece encantadora.

    ResponderExcluir